Bestiário I

"Até os séculos XVI e XVII, os livros de história natural consistiam principalmente de bestiários e herbários ilustrados, quase todos uma mistura de mito, folclore e fato. Os herbários, sobretudo, eram pouco confiáveis, tratando em geral de hervas medicinais e, muitas vezes, de mágica. Nos bestiários, alguns animais reais tinham atributos extraordinários: acreditava-se, por exemplo, que o veado macho sugava serpentes dos seus buracos para comê-las. Quanto à doninha, podia ressucitar os próprios filhotes." Gerald Durrel in 'O Naturalista Amador'
No pantanal vivem as criaturas ferozes, as dóceis, as exuberantes, as nunca vistas, as que curam, as que matam, as que trazem boa-sorte, as agourentas. As mil categorias de plantas, bichos e seres sobrenaturais.

Têm as árvores que podem te deixar devidamente esfolado no tempo de uma soneca à sua sombra. São da espécie Triplaris americana - árvores inteiramente ôcas e habitadas por formigas, que só fazem agredir os possíveis herbívoros da sua casa. E fazem a alegria dos peões de comitivas, que se comprazem em indicá-las para os novatos armarem suas redes, e ver sua desgraça. Daí serem conhecidas por 'pau-de-novato' ou 'novateiro'.

Comentários

Anônimo disse…
Your website has a useful information for beginners like me.
»
Anônimo disse…
Your website has a useful information for beginners like me.
»

Postagens mais visitadas deste blog

Paisagem da janela

De trevas e luz: os brejos

O dom para fazer contato